Antes: Planejamento da viagem para Orlando

Como toda e qualquer viagem, uma ida à Orlando exige planejamento. Aliás, para lá o planejamento tem que ser muito bem feito, tem que ser pensado e escrito antes. Você pode até tentar se jogar e ‘ver o que faz’ em cada dia que acorda, mas é quase impossível pois é preciso ver antes quais os melhores dias para ir em cada um dos parques, em quais dias tem shows e quais não, contar os dias de parques para caber nos dias que você tem por lá, procurar endereços antes, enfim… Altamente recomendável você começar a viajar antes, pelo click do seu mouse, e deixar o seu planejamento afiadinho para o dia que pisar em terras americanas.

Bom, antes de tudo, como já conversamos por aqui, para entrar nos Estados Unidos você precisa de um passaporte (é óbvio, mas é bom lembrar) e também vai precisar de um visto dos EUA.

(Só para lembrar, esse e os próximos posts são relatos das MINHAS experiências por lá. Não se baseiem apenas no que escrevi. Antes de viajar eu pesquisei MUITO e li em vários blogs relatos de viagens de pessoas que foram antes de mim, por isso resolvi fazer por aqui também. Aliás, pesquisem. Pesquisem tudo que puderem sobre todas as viagens que forem fazer. É um ótimo jeito de começar a viagem meses antes de entrar no aeroporto e de quebra ainda ajuda muito, pois todas as dicas e relatos que li antes nos ajudaram bastante quando estávamos lá.)

Estrada de Miami para Orlando. O céu azul e as nuvens fofas fazem parte do cenário diário por lá.

Estrada de Miami para Orlando. O céu azul e as nuvens fofas fazem parte do cenário diário por lá.

Pacotes? Compras avulsas?
Com a documentação em dia – ou até antes, como foi o meu caso – você pode ir atrás de sua viagem dos sonhos. Antes de fechar o pacote ou comprar as coisas por conta, tem alguns pontos que quem vai para Orlando pela primeira vez, precisa saber:

– Que dia pretendem ir? Que dia pretendem voltar? – Ou: qual o mês da viagem?
– Quantos parques vocês vão querer fazer? Vão querer repetir algum parque?
– Quantos dias pretendem – ou podem – ficar em Orlando?
– Vão alugar carro?
– Quantos dias vão deixar para compras?
– Vão para Miami?
– Preferem ir e voltar por Miami? (geralmente os voos para lá são mais baratos)

Enfim, essas são algumas das perguntas que o agente de viagem vai fazer para vocês, ou mesmo são informações que vocês devem saber antes de ir pesquisar para comprar a passagem e a entrada para os parques e também reservar a hospedagem e o carro por conta própria.

Eu e meu namorado nunca havíamos feito uma viagem internacional antes. Não conhecíamos absolutamente nada e só sabíamos por alto sobre os parques de Orlando. Fomos na agência cotar os pacotes assim mesmo e os agentes nos perguntavam o dia da viagem, quais parques, etc.. e a gente MAL sabia quantos parques tinham, quais tinham o que, enfim. Começamos pelo jeito errado. Até que encontramos uma agência de viagens onde o atendente nos explicou tudo, relatou um pouco sobre cada parque e nos fez entender as diferenças e até deu dicas sobre cada um. Foi o que nos salvou para começarmos a entender a quantidade de coisas que iríamos conhecer por lá.

Enfim, aconselho então que vocês façam uma pesquisa prévia sobre cada parque e escolha em casa qual vocês gostariam de ir. Fica muito mais fácil e pode ser que vocês não encontrem um agente que tenham a mesma paciência que o nosso teve para explicar cada uma das coisas. Vou fazer um relato breve dos parques mais para frente, você pode começar por aqui, mas tem MUITOS blogs melhores e mais completos, que são especializados em Orlando, para ler e aprender mais sobre o universo que é aquela cidade. (Se vocês quiserem, posso separar um post só com links úteis de alguns sites e blogs que lemos antes de ir para Orlando e Miami).

Após conhecermos mais ou menos os parques e escolhermos quais queríamos ir, resolvemos fechar o pacote. Fomos à CVC porque era na época o lugar onde havia um melhor custo-benefício. O dólar deles tinha uma tarifa diferenciada, por isso nenhuma pesquisa que fizemos online conseguiu bater o preço que o agente fez para nós das passagens, do aluguel do carro e de duas diárias em Miami. Já no preço dos ingressos para o parque, eles não tinham essa tarifa diferenciada do dólar, porque segundo eles o preço é o mesmo em todo lugar, e eles só repassam (já me disseram que isso é mentira, e que é possível comprar os ingressos bem mais em conta lá nos EUA ou pela internet, mas não quisemos arriscar).

Cartão postal do parque Magic Kingdom, não tem como passar pelo castelo sem tirar muitas fotos!

Cartão postal do parque Magic Kingdom, não tem como passar pelo castelo sem tirar muitas fotos!

A única coisa que fechamos pelo Booking foi a hospedagem em Orlando. A que pesquisamos saiu bem mais em conta do que sairia pela CVC, por isso fechamos só essa hospedagem com antecedência e por fora. No fim deu tudo certo também. =)

Quanto à minha opinião sobre a melhor escolha, se fica mais em conta fazer por conta própria as reservas e os pagamentos, ou fechar um pacote, acho que o melhor é: pesquisar. Na época nós nos sentimos mais seguros em fechar o pacote, mas conheço gente que acha BEM melhor fazer tudo por fora pela economia e tudo mais.

Só para vocês saberem, nós fechamos oito parques e compramos um ingresso a mais para a Universal, completando nove dias de parques. Foram eles: os quatro parques da Disney (Magic Kingdom, Animal Kingdom, Epcot e Hollywood Studios), os dois da Universal (Universal Studios e Island of Adventures), o Sea World e o Busch Gardens.

Já quanto ao carro, li que se o turista se hospedar em um dos hotéis da Disney, compensa pegar o transporte lá de dentro mesmo para os parques do complexo. Há também muitos hotéis que disponibilizam transporte gratuito para os parques da Disney e da Universal (o nosso disponibilizava). Mesmo assim, acho difícil a locomoção por lá sem carro e não recomendaria. Porém, vi no youtube e nos blogs gente que foi e se locomoveu pelos transportes dos hotéis, por ônibus e por táxi. Não sei realmente se compensa, vale a pena, de novo, pesquisar. Porém nós preferimos o carro e foi essencial, pois nós íamos para todos os lugares no horário que queríamos e podíamos, por exemplo, sair do parque e ir direto para um Walmart ou jantar, sem ficar dependendo dos ônibus do hotel. Porém aí há também um problema a ser levado em conta: o estacionamento do parques é caríssimo! Todos os dias pagamos US$ 17 para estacionar o carro, mas enfim, mesmo assim preferimos usar o carro para ir até os parques (para nos locomovermos por lá, usamos um GPS que levamos do Brasil, com mapa já instalado da Flórida).

Quanto às passagens, tanto a ida quanto a volta teve escala no Panamá (#marbarato) e, quer saber? Achamos ótimo. Sei que a maioria prefere ir direto mas a gente pre-ci-sa-va esticar as pernas, respirar, e foi super ótimo descer e pegar outro avião. Na ida ainda deu tempo de dar uma respirada e andar pelo free shop, mãe na volta nem isso. Desembarcamos e já tivemos que ir para a sala de embarque do outro voo. Mas valeu a pena mesmo assim!

Por fim, as hospedagens: pegamos dois dias em Miami e onze dias em Orlando (sendo nove destes de parques, imagina a loucura!). Portanto, se o seu objetivo é viajar para Orlando, saiba que esses pontos – e muitos outros – que destaquei são importantes pra sua pesquisa primária. Lógico que isso é para ajudar quem nunca foi. Como essa foi a minha primeira vez para lá, essas pesquisas e postagens ajudaram bastante, e espero ajudar também.

Facebook  | Instagram

Anúncios

4 comentários sobre “Antes: Planejamento da viagem para Orlando

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s