Como tirar o Visto Americano (parte 2)

(Imagem: Viaje Aqui Abril)

Finalmente o terceiro post da série para todo mundo conseguir ir para os Estados Unidos. Começamos falando sobre como tirar o Passaporte brasileiro. Mas para quem já tem, o próximo passo era ir ao Como tirar o Visto Americano (parte 1). Lá falamos sobre o preenchimento do formulário infinito DS-160 e também sobre o pagamento da taxa e o agendamento da entrevista. Falei por fim da ida ao CASV e nesse post de hoje falaremos sobre a entrevista no consulado.

Essa é a parte mais temida, e com razão. Já soube de gente que teve o visto negado aqui e por isso fui morreeeendo de medo até lá. Mas vamos do começo. Pois bem. Como eu disse lá no outro post, a gente marca a entrevista até antes de marcarmos a ida ao CASV (apesar de ser obrigatória a ida ao CASV antes).

Lembrando que a ideia aqui é contar a experiência minha. Não contratei despachante e eu e meu namorado fizemos tudo por conta própria. Além disso, para quem for tirar o visto (que acho que é o mais complicadinho), sugiro que leia em vários blogs e sites sobre o processo. Eu fiz isso, pesquisei bastante para saber principalmente da entrevista, e não tive nenhum problema.

O que levar no Consulado
Além do passaporte, da confirmação do agendamento da entrevista e também a confirmação de preenchimento do DS-160, a dica básica é: leve toda a documentação possível que prove que você tem laços com o Brasil. Eu e meu namorado levamos boletos de pagamento de carro, holerites, extrato de poupança, documento do carro, carteira de trabalho e sei lá mais o que. Vi gente na fila com vários outros comprovantes, como por exemplo comprovante de matrícula de cursos, imposto de renda e um montão de outras coisas.

É aquela história, melhor prevenir do que remediar, né? Então leve tudo o que você achar necessário.

É legal por exemplo comprovar emprego e moradia fixa, além disso o comprovante de renda é para eles saberem como é que você está pagando sua viagem. Se for outra pessoa que está pagando por você, dizem que é bom levar também a documentação dessa pessoa (pai, mãe, etc).

Como chegar ao consulado
Marcamos a entrevista no consulado umas 11h, mas chegamos cedo. O lugar, para nós, é longe gente, e por isso dessa vez fomos de carro. Para quem conhece SP é lá para os lados do Shopping Market Place e tal.. Por isso é bom se programar com antecedência e levar em conta o trânsito bizarro, caótico, infernal, louco, besta, etc de São Paulo.

Para ir de metrô/trem/ônibus eu não sei como é. Pelo que vi no mapa, o jeito mais fácil é descer no Metrô Morumbi e, de lá, o Google Maps sugere que a gente vá a pé até o local da entrevista. Mas gente, eu não sei se é longe, não posso falar porque fizemos o trajeto de carro.

Um dos ‘poréns’ que devemos levar em conta é que não podemos entrar com N-A-D-A eletrônico no consulado (diferente do CASV que a gente só precisava desligar o celular, lembram?).  Para quem for de transporte público, vi que alguns estacionamentos na frente do consulado têm guarda-volumes, mas não sei quanto custam.

Já para quem for de carro, fiquem espertos com o preço do estacionamento. O primeiro estacionamento que entramos o cara cobrava R$ 15 a primeira hora e depois mais um valor fixo pelas horas adicionais. Achamos um absurdo e saímos do estacionamento. Aí procuramos um pouco mais e achamos um outro, um pouco mais longe, que era R$ 15 o período inteiro. Não é barato, ok, mas levando em consideração que nós estávamos em duas pessoas e deixamos tudo no carro (não pagamos guarda-volumes), achei ok -caro, mas ok.

Bom, o endereço lá é : Rua Henri Dunant, 500, Chácara Santo Antônio. São Paulo.

(Imagem: Blog EHTRI)

No consulado
Como levamos em consideração o trânsito de SP, conforme já foi explicado, haha, chegamos cedo na região do consulado. Se eu não me engano, era umas 9h30 e já estávamos nas redondezas. Entramos na fila acho que era por volta das 10h e pouco.

Sei que o Consulado pede para que a gente chegue apenas no nosso horário mas vi MUITA gente lá que não estava no horário também. Acho que no fim eles vão atendendo por ordem de chegada, e depois lá dentro fazem algum tipo de triagem de acordo com o seu horário, mas não tenho certeza. O fato é que eles vão separando a gente por filas ‘coloridas’, mas não sei se essa separação segue o horário que foi agendado.

Enfim, chegue próximo ao seu horário, não precisa ser muuuuito mais cedo. Passaporte em mãos, documentação em mãos e sem nenhum eletrônico. Siga as setas e orientações dos funcionários e guardas e primeiro você passa por uma máquina detectora de metais. Eles pedem até para tirar cintos e casacos, e seus pertences passam em uma máquina ao lado.

Depois você vai chegar até o local onde estão acontecendo as entrevistas. Primeiro você fica esperando em um local onde há alguns bancos. Aí chamam seu nome (ou o nome de quem estiver com você para fazer a entrevista – sim, as entrevistas acontecem com quem estiver tirando o visto com você), e você vai lá pegar seu passaporte (que você entregou antes de passar pelas máquinas) e vai para a fila das entrevistas.

A fila é mais ou menos rápida, você não fica parado muito tempo, mas a fila é grande. No fim da fila tem um funcionário que vai indicando os guichês que estão mais vazios, e depois disso, é a entrevista.

A entrevista
Bom, ela chegou. Você é o próximo da fila dos guichezinhos e é chamado para ir lá fazer sua entrevista. Mas fique calmo, a minha pelo menos foi bem tranquila. Eu e meu namorado fizemos a entrevista para o visto juntos, as perguntas que ele nos fez foram as seguintes:
– Para onde vocês vão?
– Vocês vão viajar juntos? Vocês são o que um do outro?
– Vocês já são formados?
– Quais as suas profissões?
– (Quando respondi que era jornalista, ele perguntou de qual veículo)
– Quanto vocês pretendem levar para a viagem? (para gastar lá)

Pelo que eu me lembro, acho que foi mais ou menos essas perguntas. Pelo que percebemos lá, depende muito da pessoa que fará a entrevista e depende também de quem é o entrevistado. Uma menina no nosso lado estava respondendo as perguntas em inglês, mas no nosso caso ele nem perguntou se poderíamos responder em inglês (fiquem tranquilas, acho que a menina era uma exceção). Ah, ele também não pediu para ver nenhum documento nosso. Enfim, foi bem tranquila e no final ouvimos o esperado “O visto de vocês foi concedido”.

Depois disso é só ir embora feliz para casa. O passaporte com o visto chega alguns dias depois no endereço que colocamos no agendamento (ou você deve ir buscar, caso tenha optado por isso).

É isso gente. Como vocês podem ver, não é um bicho de sete cabeças, mas é trabalhoso. O processo não é tããão demorado e, pelo menos em São Paulo, há muitas opções de agendamento.

Endereços úteis:
Preenchimento do DS-160  https://ceac.state.gov/genniv/
– Centro de Atendimento ao Solicitante de Visto (CASV)
– Unidade Vila Mariana
Endereço: Av. José Maria Whitaker, 370- Vila Mariana. São Paulo
– Consulado
Endereço: Rua Henri Dunant, 500 – Chácara Santo Antônio. São Paulo

Facebook  | Instagram

Anúncios

5 comentários sobre “Como tirar o Visto Americano (parte 2)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s